PDF
A Fábrica e a Vida – Narrativas e Imagens dos trabalhadores do Complexo Químico de Estarreja em torno do trabalho nas fábricas, da sua complementaridade com outras atividades e do risco ambiental
Elisabete Figueiredo
Session
2015
Co-leader(s)
Project type
Projet OHM
Anthropologie, Géographie, Sociologie
Instalado no início dos anos 50 do século XX o Complexo Químico de Estarreja (CQE) compreende atualmente cinco empresas localizadas nas freguesias de Avanca (1) e Beduído (4), do Concelho de Estarreja. A implantação do CQE implicou mudanças profundas e contribuiu, ao longo do tempo, para a reconfiguração do território a nível social, demográfico, económico e cultural. No início dos anos 50, Estarreja, à semelhança de uma boa parte do território do país, era um concelho marcadamente rural e assente na atividade agrícola. Este cenário alterou-se substancialmente ao longo dos últimos 60 anos, com a entrada em funcionamento e o desenvolvimento do CQE, aliado a uma ampla transferência da população ativa no setor primário para o setor secundário. Esta transferência não implicou, porém, o fim da agricultura no concelho, atividade que se mantém até aos dias de hoje, representando cerca de 54% do uso do solo e dominando a paisagem local. No entanto, a agricultura é hoje uma atividade complementar, orientada para o autoconsumo familiar, uma atividade largamente de subsistência mas ainda relevante enquanto geradora de rendimentos adicionais para os agregados domésticos e de ocupação do tempo (designadamente do tempo livre) das populações locais.

A instalação do CQE não se fez sem induzir transformações reais ou potenciais a nível ambiental e sem colocar riscos relevantes para as populações e ecossistemas locais. Trata-se de um Complexo que integra estabelecimentos industriais que, ao abrigo da legislação em vigor, possuem grandes quantidades de substâncias de grande perigosidade e que configuram riscos de acidentes industriais graves.

Leader

Elisabete Figueiredo
2019-01-28 16:08:31
2019-01-28 17:02:53
Elisabete Figueiredo
Sociologist (ISCTE-IUL) and PhD on Environmental Sciences (University of Aveiro – UAVR). Assistant Professor at the Department of Social, Political and Territorial Sciences da UAVR and Researcher of GOVCOPP – Research Unit on Governance, Competiveness and Public Policies) and Associated Researcher at CETRAD – Centre of Transdisciplinary Studies for Development (University of Trás-os-Montes and Alto Douro. She was Associated Researcher at IBIMET – National Research Council, Italy, in the research group ‘Rural Development and Cultural Identity’.
Her main research interests are related to Rural Sociology (social representations about the rural, rural development, rural tourism), Environmental Sociology (social representations about the environment, interactions between men and natural resources, conflicts of use of natural resources) and Studies on Perceptions of Risk (social perceptions of natural and technological risks, risk management and risk communication and negotiation).
She has been involved in several research projects both at national and international levels funded mainly by FCT – Portuguese Foundation for Science and Technology and by the European Commission. Recently she coordinated the project Rural Matters – Meanings of the Rural in Portugal: between social representations, consumptions and development strategies, funded by FCT and is currently the coordinator of the Portuguese team of the Marie Curie ITN project – Susplace – Sustainable Place-shaping. She is on the editorial board and of several national and international journals.
She is the editor or co-editor of 9 books (4 national and 5 international) and author or co-author of more than 30 papers in both national and international journals, among other.

Participants

Elisabete
Figueiredo

Socióloga (ISCTE-IUL) e Doutorada em Ciências Aplicadas ao Ambiente (Universidade de Aveiro - UAVR). É Professora Auxiliar no Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território da UAVR. É Investigadora do GOVCOPP (Unidade de Investigação em Governação, Competitividade e Políticas Públicas, UAVR) e Investigadora Associada do CETRAD (Centro de Estudos Transdisciplinares para o Desenvolvimento, UTAD). Foi Investigadora Associada (2010-2011) do IBIMET -Conselho Nacional de Investigação, Itália, no grupo 'Desenvolvimento Rural e Identidade Cultural). Os seus principais interesses de Investigação relacionam-se com a Sociologia Rural (representações sociais sobre o rural, Desenvolvimento rural, Turismo rural), a Sociologia do Ambiente (representações sociais do ambiente, interações homem/recursos naturais, conflitos de uso dos recursos naturais) e Estudos de Perceção de Risco (perceções sociais de riscos naturais e tecnológicos, Gestão do risco,...

Sandra
Valente

É Licenciada em Planeamento Regional e Urbano pela Universidade de Aveiro, Mestre em Sociologia – Políticas Locais e Descentralização: As novas áreas do social, pela Universidade de Coimbra, e possui Doutoramento Europeu em Ciências e Engenharia do Ambiente pela Universidade de Aveiro.


Nos últimos anos, tem desenvolvido investigação na área da perceção social do risco e, mais recentemente, na área da participação e do envolvimento dos agentes e comunidades locais na gestão dos recursos naturais. Desde 2002, colaborou em mais de uma dezena de projetos internacionais e nacionais. Atualmente é Bolseira de Pós-Doutoramento na Universidade de Aveiro, e membro integrado do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM), estando a colaborar em dois projetos internacionais, financiados pelo FP7 – RECARE e CASCADE – relacionados com a recuperação e mitigação da degradação dos solos, sendo responsável pelas atividades de cooperação com os agentes e as...

Joaquim
Pedro Ferreira

Licenciado em Biologia pela Faculdade Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), Mestre em Gestão dos Recursos Biológicos pela Universidade de Évora, e Doutorado em Biologia da Conservação (FCUL). Atualmente é bolseiro de Pós-Doutoramento no Departamento de Biologia e Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) da Universidade de Aveiro na área da divulgação de ciência financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT). Tem especial interesse e formação na área do audiovisual onde desenvolve variados projetos, com relevância para a fotografia e vídeo. Os seus principais interesses de Investigação relacionam-se com a biologia da conservação. É Co-Autor de 10 livros de divulgação, para o grande público, com temáticas centradas na conservação da natureza e mundo rural. Co-autor da série para televisão "Biodiversidade no Hipermercado" e que recebeu o 1º prémio (Outubro de 2014) no prestigiado concurso internacional "Ciencia En Acción"....

David
Ramos Silva
Atualmente a terminar o seu Doutoramento em Ciências e Engenharia do Ambiente, na Universidade de Aveiro, com uma bolsa da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). É Bolseiro de Doutoramento no Departamento de Ambiente e Ordenamento e no Laboratório Associado - Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) da Universidade de Aveiro.
Participou como investigador nos projetos: (Bias-to-soil) - Biomass ash: Characteristics in relation to its origin, treatment and application to soil (PTDC/AAC-AMB/098112/2008) - concluído e BiomAshTech - Ash impacts during thermo-chemical conversion of biomass (PTDC/AAC-AMB/116568/2010) – em curso.


Foi secretário-geral da Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA), é membro da Secção Portuguesa da Associação Internacional de Investigadores em Educação Ambiental. Tem recebido vários prémios académicos, como a Bolsa de Mérito da European Cooperation in Science and Technology, com a apresentação de um poster no...